Você não está sozinha se sentindo uma fraude de vez em quando

A primeira vez que citei a Síndrome da Impostora foi durante uma palestra sobre Empreendedorismo Feminino, no Ladies, Wine and Design. Essa iniciativa internacional inspira e apoia mulheres ao redor do mundo a entrarem e se fortalecerem no mercado criativo. O capítulo de Recife me convidou quando o assunto foi empreendedorismo e eu fiquei super feliz.

Para um auditório cheio de mulheres eu projetei algumas frases como essa da foto “Eu cheguei até onde cheguei porque estava no lugar certo, na hora certa e com as pessoas certas ao meu redor”. E perguntei se alguém se identificava. Várias. Muitas. Quase todas. E a cada frase que eu mostrava, mais identificação. Porque as mulheres não tomam crédito por suas conquistas? Porque a gente se sente uma fraude quando ocupa lugares de destaque e poder? 

A tal Síndrome da Impostora não é uma patologia, muito menos algo individualizado. A raiz da questão é social, estrutural. Não estamos adoecidas, estamos inseridas em uma sociedade patriarcal, neoliberal, machista, racista e cheia de tantos outros preconceitos e problemas. Então em um mundo onde quem ocupa os espaços de liderança tem gênero, raça e classe bem definidos, qualquer pessoa que fuja desse padrão tem a impressão que precisa fazer o dobro para chegar na metade do caminho. E assim, se cansa, se sabota, se esgota.

E foi por perceber que precisamos falar mais sobre como nos sentimos para entender que não estamos sozinhas, que criei o podcast Chá com a Impostora. Lá é onde podemos compartilhar nossas vulnerabilidades com leveza, e vemos que falar (e ouvir) nos acolhe ao mesmo tempo que nos dá poder.

A cada episódio que vai pro ar eu escuto “achei que só eu me sentia assim”. Não, você não está sozinha. Não é uma coisa da sua cabeça. Esse termo “Síndrome” é péssimo, por sinal. Por isso, chamamos no podcast de voz da Impostora. Essa voz que pode parecer estar vindo da nossa cabeça, mas vem das crenças que absorvemos do mundo, dos padrões que a sociedade quer aplicar, do contexto que fazemos parte.

Quer conhecer mais sobre isso? Escute o Chá com a Impostora, navegue pelos episódios e sinta-se acolhida. Tenho certeza que você vai se identificar muito, e isso não é ruim. Juntas (e falando) somos mais fortes.

Avante!

www.chacomaimpostora.com

www.instagram.com/chacomaimpostora

www.twitter.com/chaimpostora

contato@chacomaimpostora.com 

Anna Terra

Anna Terra

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Feito pra quem quer mudar o mundo Oyá Design